Skip to content

About

PERFORMANCE/KONZERT:CANAL ZERO

CONCEPT

Canal Zero project lives in a place where image and sound cross together into a mutual dialogue and development, initiating the construction of an uncertain narrative, influenced by musical language and real-time image. Carries us to an hybrid voyage where sound has visibility and images have noise. Electronic and acoustic music melt together through the use of tools such as sound capture, samplers and analogical modelling, rendering an organic composition where image is used as a visual and sonorous instrument On a lightning table, several materials (machinery, scrap, inks, and others) are exhibited and dissected under a glass, as if they were part of a rarity museum collection. They are also visualized in metamorphosis on a double projection. The voice from the mechanisms seems to emerge of timeless places to then dissolve in the air, where the enchanted and the real find the elective affinities. In laboratory environment, the rhythm of the composition is imposed by a sound that can be either electrifying or simple and devoid. The three performers are accomplices in a relationship of continuity and discontinuity, in order to make room for the image to becamebecome a sculpture element of sound and the sound an image composition.

CONCEITO

O projecto Canal Zero habita um lugar onde a imagem e o som se cruzam para dialogarem e se desenvolverem mutuamente, encetando no encontro a construção de uma narrativa incerta, contagiada pela linguagem musical e a imagem em tempo real. Transporta para uma viagem híbrida onde o som tem visibilidade e as imagens ruído. A música electrónica e a música acústica fundem-se, através de instrumentos como a captura de som, os samplers e as modelações analógicas, numa composição orgânica onde a imagem serve como instrumento visual e sonoro. Numa mesa de luz, diversos materiais (maquinaria, sucata, tintas, entre outros), como se fossem parte do acervo de um museu de raridades, são exibidos e dissecados sobre um vidro. Em metamorfose, são apresentados em dupla projecção. A voz dos mecanismos parece emergir de lugares intemporais para depois se dissolver no ar, onde o encantatório e o real encontram as afinidades electivas.Em ambiente laboratorial, a composição é ritmada por um som ora electrizante ora de uma delicadeza simples e desprovida. Os três intérpretes são cúmplices numa relação de continuidade e descontinuidade, de modo a darem espaço para que a imagem seja um elemento escultórico do som e o som uma composição da imagem.